Veja nossoBlog Laboratório
Humberto Abrão

Febre Amarela – Testes para diagnóstico e avaliação da imunização

A febre amarela é uma doença infecciosa, febril aguda, de curta duração (no máximo 12 dias) e de gravidade variável. É provocada por um Flavivírus, transmitido, exclusivamente, pela picada de mosquitos. Em áreas urbanas, o transmissor é o Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue.

A febre amarela pode ser prevenida através da imunização.

Na maioria dos indivíduos, a doença cursa de maneira benigna, melhorando naturalmente após alguns dias. Porém, cerca de 15% dos doentes apresenta a forma grave da infecção, na qual, depois de uma aparente melhora, os sintomas voltam a se intensificar e são acompanhados de complicações hemorrágicas e severo comprometimento dos rins e do fígado, exigindo cuidados médicos rápidos e intensivos, porém, nem sempre suficientes para reverter o quadro.

Causas e Sintomas

O período de incubação é de 3 a 6 dias após a picada do mosquito.

A maioria das pessoas desenvolve sintomas discretos ou nem apresentam manifestações clínicas.

Quando presentes, começam subitamente, com sensação de mal- estar, dor de cabeça, dores musculares, cansaço, febre e calafrios, náuseas e vômitos.

Este quadro melhora em 3 ou 4 dias. Porém, a forma grave se manifesta 24 a 48 horas depois que a infecção parece atenuada. A febre reaparece com dores de cabeça e abdominal, além de vômitos que podem conter sangue. O quadro se agrava com sangramento no nariz e gengivas, manchas pelo corpo semelhantes a hematomas e icterícia.

A transmissibilidade ocorre de 24 a 48 horas antes do surgimento dos sintomas até 3 a 5 dias após o início dos sintomas.

Diagnóstico Laboratorial

As manifestações clínicas da febre amarela não são suficientes para o médico fazer o diagnóstico final.

Assim, o diagnóstico definitivo dependerá da realização de exames de sangue.

Para o diagnóstico na fase inicial da doença, quando o vírus ainda está presente na corrente sanguínea, utiliza-se a reação em cadeia da polimerase (PCR), que fará a identificação direta do vírus. Este teste deve ser realizado em amostras colhidas no prazo de sete dias a partir do início dos sintomas.

Já nas fases mais avançadas, quando aparecem os anticorpos circulantes, ocorre o desaparecimento dos vírus. A partir daí, utilizam-se os testes sorológicos elisa para identificação da presença de anticorpos IgG e IgM específicos contra o vírus.

Os anticorpos da classe IgM são os primeiros a surgir, sendo específicos da fase aguda da infecção. Diminuem com o passar do tempo, durando em média 2 a 4 semanas. Já os da classe IgG, surgem alguns dias após os IgM, e permanecem positivos, indicando uma exposição passada. Podem também indicar o status da imunização pós vacinação.

Informamos que já está disponível em nossa rotina os exames: PCR para identificação direta do vírus, e anticorpos IgG e IgM para febre amarela.

*Este material tem caráter meramente informativo. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico.

 

16 de novembro de 2017 Post Esquerda , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *