Veja nossoBlog Laboratório
Humberto Abrão

Calvície – Aspectos Gerais e Laboratoriais

A queda de cabelo está entre as causas mais frequentes de visita ao dermatologista, especialmente em mulheres e adultos jovens. A importância psicossocial dos cabelos se reflete na ansiedade e sofrimento referidos pelos pacientes. O cabelo é uma das características humanas mais variáveis, caracterizando raças, religiões, aspectos políticos e etários. Sua modelagem está relacionada a sedução e a moda, determinando padrões de beleza.

O número total de folículos em todo o corpo, em adultos, é estimado em 5 milhões. Cerca de 1 milhão está na cabeça. A densidade de cabelos no couro cabeludo é variável, de 175 a 300/cm2, dependendo da área, sexo e idade do indivíduo. A redução da densidade com o envelhecimento é significativa em todas as regiões do couro cabeludo, com perda de cerca de 30% da segunda a oitava década de vida. O crescimento normal dos fios terminais é de pouco mais de 1 cm por mês e 100 a 150 hastes são eliminadas diariamente. Essas hastes, são substituídas de forma cíclica, a partir de células germinativas. O folículo piloso é um dos poucos tecidos humanos ricos em células germinativas, além disso possui queratinócitos e melanócitos, fundamentais na reparação da epiderme.

O ciclo biológico do cabelo é dividido em três fases: anágena, catágena e telógena. Cada uma tem um período de duração, de modo que um fio de cabelo cresce por um período médio de dois a oito anos. Após o tempo máximo de crescimento, a matriz para de produzir cabelo, se desprende e desloca no sentido da superfície da pele. Conheça um pouco mais sobre cada fase:

  • Fase Anágena (Crescimento):

Nesta fase, a duração da atividade dos folículos varia conforme a região, raça, estação climática e idade do indivíduo. Tem duração de três a sete anos e, nos humanos, entre 80% a 90% dos folículos estão nesta fase.

  •  Fase Catágena (Repouso):

Esta fase tem uma duração de duas semanas e compreende aproximadamente 1% dos folículos.

  • Fase Telógena (Queda):

Cerca de 20% dos folículos estão nesta fase. É considerada normal a perda de até 100 fios por dia, acima disso, recomenda-se uma investigação.

Reconhecer as características normais do cabelo é fundamental para compreender as causas de sua queda. A unidade pilossebácea, uma estrutura morfológica fundamental no couro cabeludo, possui folículos, glândula sebácea e músculo eretor do pelo. Estas estruturas participam do ciclo do cabelo e suas alterações histológicas podem fornecer dados para definir o diagnóstico das alopécias.

Alopécia:

É a perda de cabelo ou pelos, tanto no couro cabeludo quanto em outras partes do corpo, devido a alterações no folículo piloso.

Caso essas alterações sejam transitórias e não destrutivas da matriz capilar, ocorrerá um novo crescimento. Porém, se chegarem a destruir a matriz capilar resultará na formação de feridas (escaras), ou atrofia, levando à alopécia permanente. A alopécia pode atingir tanto homens quanto mulheres.

Os motivos da queda são diversos, dentre eles o estresse, a genética, doenças crônicas ou febris, pós-parto, diabetes, anemia, câncer, alterações hormonais (hipo ou hipertireoidismo) regime alimentares, excesso de gordura causado pelo aumento da produção normal da glândula sebácea, entre outros.

Os principais tipos de alopécia são:

Alopécia Areata: apresenta-se em forma de círculos redondos no couro cabeludo acometendo por igual homens e mulheres de qualquer idade, cuja causa é desconhecida (embora esteja relacionada ao estresse).

Alopécia Androgenética: também chamada de calvície comum ou prematura, acomete principalmente os homens e pode iniciar desde a adolescência. Está relacionada com a genética, porém necessita de fatores androgênicos (hormonais) para manifestar-se. É a maior causa de calvície do mundo e estima-se que 70% dos homens e 40% das mulheres são afetados por ela.

Alopécia Difusa (eflúvio telogênico crônico): é a perda aguda e progressiva do cabelo após doenças crônicas ou febris, estresse emocional, pós parto, etc… O cabelo se desprende facilmente ao fazer tração sobre ele. Não chega a produzir-se uma calvície total, mas o cabelo é escasso e tem um aspecto muito liso. Sua causa se encontra alguns meses atrás, antes do começo da queda. Entre suas causas, destacam-se três principais tipos: (endócrino, medicamentoso e metabólico/nutricional).

– Endócrino

Causada pelo hipertiroidismo e sobretudo pelo hipotiroidismo, além de outros transtornos endócrinos.

– Medicamentoso

Determinados medicamentos, (anticoagulantes, anticoncepcionais orais, tratamentos à base de quimioterapia e medicamentos psiquiátricos) podem provocar que o cabelo se afine e se debilite até chegar à queda.

– Metabólico/nutricional

A má nutrição é uma das principais causas, fazendo que o cabelo se torne seco, frágil e muito fino. As raízes são muito quebradiças e o cabelo de cor negra pode adquirir uma tonalidade acobreada.

A anorexia é outra razão associada à debilitação e afinamento do cabelo, assim como deficiências de ferro e zinco.

Alopécia Seborréica: A glândula sebácea é encarregada de produzir o sebo (ou gordura) que, junto com a água procedente das glândulas sudoríparas, cria a capa de pele que cobre e protege o couro cabeludo. A produção excessiva dessas glândulas, gera um excesso de gordura que se traduz em um aspecto gorduroso e opaco do cabelo, o qual fica sem força nem volume. Nos casos extremos, este excesso de gordura pode chegar a provocar irritações e coceiras no couro cabeludo, além de problemas de caspa. As causas principais são:

  • Desequilíbrios orgânicos ou hormonais
  • Estresse e ansiedade
  • Dietas ricas em gorduras animais ou alimentos condimentados
  • O uso em demasia de produtos que agridem e maltratam o cabelo (xampus, condicionadores, tintura, etc …).

Alopécia Cicatricial: Este tipo de alopécia costuma ser irreversível na maioria dos casos. Ocorre por má formação ou ruptura total da estrutura folicular, não existindo nenhum tratamento que possa aplicar-se a uma cabeleira com folículos inertes. Em caso de haver zonas não danificadas, se pode recorrer a um implante capilar. As causas principais são:

  • Doenças infeciosas
  • Agentes físico-químicos
  • Dermatoses, tumores e doenças hereditárias
Eflúvio Telógeno

O termo eflúvio telógeno significa a eliminação de cabelos em clava, que se segue à precipitação prematura dos folículos anágenos em telógenos. Um processo que ocorre como resposta dos cabelos a muitos tipos diferentes de estresse. Exemplos:

Febre, cirurgias, hemorragias, dieta intensa, estresse emocional, neoplasias, doenças inflamatórias e metabólicas.

Investigação laboratorial

Marcadores de anemia: é a causa mais frequente da queda de cabelo.

  • Hemograma
  • Ferro sérico
  • Capacidade de Ligação do Ferro
  • Ferritina
  • Transferrina
  • Ácido Fólico
  • Vitamina B12

Marcadores Nutricionais (sangue):

  • Zinco
  • Cobre
  • Selênio
  • Vitamina D3

Marcadores Hormonais Tireóide:

  • TSH
  • T4 Livre

Marcadores Hormonais para Hiperandrogenismo: úteis na investigação da alopécia androgenética

  • Testosterona Total e Livre
  • Sulfato de DHEA
  • FSH
  • LH
  • Estradiol
  • 3-a-androstenediol glucoronídeo
  • DHT

Marcador de autoimunidade: útil na investidação da alopécia cicatricia

  • FAN
Teste Genético(sangue)

Útil no diagnóstico da alopecia androgenética masculina. Identifica a pré-disposição à calvície, antes que os primeiros sintomas apareçam, sendo que aqueles que apresentarem o resultado “portador da variante no gene AR”, têm 80% de chances de desenvolver a calvície.

Exames realizados no cabelo ou couro cabeludo: Não realizamos no laboratório. Apenas por médicos especializados.

  • Tricograma e fototricograma
  • Dermatoscopia
  • Biópsia

O Laboratório Humberto Abrão já disponibiliza estes exames e para mais informações favor contactar-nos.

*Este material tem caráter meramente informativo. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico.

Referências bibliográficas:

site – www.sbd.org.br
site- www.surgicalcosmetic.org.br

Atenciosamente,

Dr. Cláudio Maciel- CRF/MG – 6392 – Coordenador do Setor de Bioquímica

 

29 de junho de 2018 Post Esquerda , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *