Veja nossoBlog Laboratório
Humberto Abrão

Câncer de pele – Cuidados com a chegada do verão

Os cuidados com a exposição ao sol, devem ser tomados o ano inteiro, porém, com a chegada do verão, ficamos mais expostos às radiações pois a frequência das pessoas em piscinas, praias e lagos é maior. A maioria dos cânceres da pele está relacionada à exposição ao sol, por isso todo cuidado é pouco.

O câncer de pele responde por 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (INCA), registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos.

Existem dois tipos de câncer de pele, o melanoma e o carcinoma.

O carcinoma (basocelular e espinocelular) é tipo mais comum e menos agressivo. É de fácil percepção pois costuma surgir na região média e superior da pele.

O melanoma é raro, porém mais agressivo e com alto índice de mortalidade. Seu risco se deve ao fato de que costuma começar nas camadas mais profundas da pele. Quando este tipo de câncer surge, pode se expandir a outras áreas ou órgãos do corpo. Costuma ser tratado com uma pequena cirurgia que elimina todas as células alteradas.

A hereditariedade desempenha um papel central no desenvolvimento do melanoma. Por isso, familiares de pacientes diagnosticados com a doença devem se submeter a exames preventivos regularmente. O risco aumenta quando há casos registrados em familiares de primeiro grau.

É importante estar atento aos seguintes sintomas:

  • Uma lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente;
  • Uma pinta preta ou castanha que muda sua cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;
  • Uma mancha ou ferida que não cicatriza, que continua a crescer apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.

Além de todos esses sinais e sintomas, melanomas metastáticos podem apresentar outros, que variam de acordo com a área para onde o câncer avançou. Isso pode incluir nódulos na pele, inchaço nos gânglios linfáticos, falta de ar ou tosse, dores abdominais e de cabeça, por exemplo.

A metodologia indicada para reconhecer as manifestações do câncer de pele é a Regra do ABCDE:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A metodologia ABCDE aponta sinais sugestivos de tumor de pele, mas somente um exame clínico feito por um médico especializado ou uma biópsia podem diagnosticar o câncer de pele.

Evitar a exposição excessiva ao sol e proteger a pele dos efeitos da radiação UV são as melhores estratégias para prevenir o melanoma e outros tipos de tumores cutâneos.

Algumas medidas de proteção:

  • Usar chapéus, camisetas, óculos escuros e protetores solares.
  • Cobrir as áreas expostas com roupas apropriadas, como uma camisa de manga comprida, calças e chapéu de abas largas.
  • Evitar a exposição solar e permanecer na sombra entre 10 e 16 horas (horário de verão).
  • Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As barracas de nylon formam uma barreira pouco confiável: 95% dos raios UV ultrapassam o material.
  • Usar filtros solares diariamente, e não somente em horários de lazer ou de diversão. Utilizar um produto que proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo.  Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre. Ao utilizar o produto no dia a dia, aplicar uma boa quantidade pela manhã e reaplicar antes de sair para o almoço.
  • Manter bebês e crianças protegidos do sol. Filtros solares podem ser usados a partir dos seis meses.
  • Observar regularmente a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas.
  • Consultar um dermatologista uma vez ao ano, no mínimo, para um exame completo.

O câncer de pele pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas. Assim, conhecer bem a pele e saber em quais regiões existem pintas, faz toda a diferença na hora de detectar qualquer irregularidade. A detecção precoce do câncer é uma estratégia para encontrar um tumor numa fase inicial e, assim, possibilitar maior chance de tratamento.

 

*Este material tem caráter meramente informativo. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico.

 

Referências Bibliográfica: 

Sociedade Brasileira de Dermatologia: http://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/cancer-da-pele/64/

Instituto Nacional de Câncer (INCA): http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/agencianoticias/site/home/noticias/2016/cuidados_com_sol_devem_ser_tomados_ano_inteiro_nao_apenas_verao

Instituto Oncoguia: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/sinais-de-cancer-de-pele-que-voce-nao-deve-ignorar/10631/7/

 

Atenciosamente,

 

 

 

 

 

2 de Janeiro de 2019 Post direita , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *