Veja nossoBlog Laboratório
Humberto Abrão

Diverticulite

A Diverticulite é uma inflamação dos divertículos, que são saculações (pequenas “bolsas” ou “sacos”) formados no intestino grosso, devido a pressão exercida pelo conteúdo intestinal contra essa parede. Quando há a obstrução de algum divertículo por fezes (fecalitos), ou alimentos não digeridos, inicia-se um processo inflamatório no divertículo que, em seguida, evolui para um processo infeccioso, devido a proliferação de bactérias, denominado diverticulite. Cerca de 95% dos divertículos encontram-se no cólon sigmóide (parte do intestino grosso). É mais frequente em obesos, sedentários e tabagistas , e muito mais comum em países ocidentais com dietas gordurosas e pobres em fibras, do que em regiões rurais com dieta rica em fibras e pobre em gordura animal.

Sabe-se, porém, que seguir uma dieta pobre em fibras é uma das causas mais prováveis. Como resultado disso, ocorre a constipação e a presença de fezes muito duras, que demandam esforço além do normal para passar pelo reto. Esse movimento aumenta a pressão no cólon ou nos intestinos e pode causar a formação desses quistos (“bolsas”).

A presença de divertículos no trato digestivo é chamada de diverticulose. Eles são inofensivos, a não ser que desencadeiem algum problema de saúde, como é o caso da diverticulite. Do contrário, uma pessoa pode apresentar diverticulose e nunca saber disso.

Todo paciente que apresenta pelo menos um divertículo identificado, em algum exame diagnóstico, seja radiológico ou endoscópico, é considerado portador de doença diverticular ou diverticulose.

Causas da Diverticulite: as causas ainda não estão muito bem esclarecidas, porém, existem alguns fatores de risco que podem favorecer e aumentar o risco de formação dos divertículos no intestino e consequentemente, de inflamarem causando a Divertuculite:

  • ter mais de 40 anos e ser fumante.
  • alimentação rica em gorduras e pobre em fibras.
  • obesidade e falta de atividade física regularmente.
  • alguns medicamentos podem estar associados ao risco aumentado de Diverticulite, tais como: esteróides, opiáceos e anti-inflamatórios não esteróides.

Sintomas da Diverticulite:

  • falta de apetite.
  • aumento da sensibilidade do abdômen, principalmente do lado esquerdo.
  • mal-estar, náuseas, vômitos, diarréia ou prisão de ventre.
  • febre abaixo de 39 graus.
  • dor abdominal, geralmente na parte inferior, do lado esquerdo, que pode durar vários dias, podendo ser confundido com um quadro de apendicite.

Em quadros mais severos, pode ocorrer a obstrução intestinal ou até mesmo a perfuração dos divertículos, trazendo como consequência complicações mais graves, e até mesmo a necessidade de cirurgia.

Algumas medidas preventivas podem ser importantes para se evitar quadros de Diverticulite como: incluir na dieta alimentos ricos em fibras, pois são fundamentais para um bom funcionamento intestinal; beber pelo menos dois litros de água por dia, para ajudar na formação do bolo fecal; não tomar laxantes por conta própria, em casos de constipação intestinal; praticar atividade física regularmente, pois auxilia e acelera o metabolismo e o trânsito intestinal.

Informamos que mediante a ocorrência  de quaisquer sinais e sintomas suspeitos, procure imediatamente por orientação médica.

*Este material tem caráter meramente informativo. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico.

Referências  Bibliográficas:

http://www.mdsaude.com/2010/07/diverticulite-diverticulose-sintomas.

https://www.tuasaude.com/sintomas-de-diverticulite/

DRA. LUCINARA FROEDE  – CRF-MG 8945 – SETOR BIOQUIMICA

22 de Maio de 2018 Post Esquerda , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *