Veja nossoBlog Laboratório
Humberto Abrão

Esquistossomose

A Esquistossomose é uma doença parasitária causada pelo agente Schistosoma mansoni, parasita que tem no homem seu hospedeiro definitivo , cujas formas adultas habitam os vasos mesentéricos, mas que necessita de caramujos de água doce como hospedeiros intermediários para desenvolver seu ciclo evolutivo. Trata-se de uma doença, inicialmente assintomática, que pode evoluir para formas clínicas mais graves, podendo até levar ao óbito. A magnitude de sua prevalência, associada a severidade das formas clínicas e a sua evolução, conferem a Esquistossomose uma grande relevância como problema de saúde pública.

No Brasil , também é conhecida como: “Xistose”, “Barriga d’água” e “Doença dos Caramujos”.

A transmissão ocorre por meio do contato com águas contaminadas com as larvas cercárias do Shistosoma mansoni. Os ovos do verme são eliminados pelas fezes do homem infectado. Em contato com a água, os ovos eclodem e liberam larvas, denominadas miracídios, que infectam caramujos hospedeiros intermediários que vivem nas águas doces. Após quatro semanas ,as larvas abandonam o caramujo na forma de cercárias e ficam livres nas águas naturais. A maneira pela qual se adquire a doença é através do contato de seres humanos com essas águas e quando ocorre a penetração das larvas na pele e mucosas.

Na fase aguda pode apresentar febre, dermatites, dor de cabeça, calafrios, suores, fraqueza, falta de apetite, dor muscular, enjôos,vômitos, emagrecimento, tosse e diarreia. Em alguns casos ,o fígado e o baço podem inflamar e aumentar de tamanho. Na forma crônica , geralmente assintomática, a diarreia se torna mais constante, alternando-se com prisão de ventre, e pode aparecer sangue nas fezes. Além disso, o paciente pode sentir tonturas, dor de cabeça, sensação de plenitude gástrica, coceira no ânus, palpitações, emagrecimento e endurecimento do fígado, com aumento de seu volume. Nos casos mais graves da fase crônica , o estado geral do paciente piora bastante, com emagrecimento, fraqueza acentuada e aumento do volume do abdômen, conhecido popularmente como barriga d´água.

Muitos indivíduos adquirem a Esquistossomose e não sabem, justamente porque, às vezes, essa doença pode ser assintomática. Se não for descoberta e tratada, a doença pode piorar e a pessoa poderá sentir um ou mais dos seguintes sintomas: fezes pretas com sangue, vômito com sangue, “barriga d’água”, varizes no esôfago e até paralisia nos membros.

O tratamento para os casos simples é domiciliar, com o uso dos medicamentos indicados pelos médicos e que têm distribuição gratuita na rede pública de saúde. As dosagens dos medicamentos são definidas de acordo com a idade e peso dos pacientes. Já os casos mais graves, geralmente requerem internação hospitalar e tratamento cirúrgico.

Educação sanitária, saneamento básico, controle dos caramujos e informações sobre o modo de transmissão da doença, são medidas fundamentais e importantes para a prevenção da doença.

A Esquistossomose é uma verminose muito relacionada com a falta de saneamento básico, portanto, normas básicas de higiene e saneamento ambiental são essenciais.

Exames laboratoriais básicos, como o Exame Parasitológico de Fezes (HPJ), que busca os ovos do parasita, e a detecção de anticorpos contra substrato de cercária, pelo método de Imunofluorescência Indireta, dentre outros, também são importantes para auxiliarem no diagnóstico.

 

Para mais informações, favor contatar-nos.

 

*Este material tem caráter meramente informativo. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico.

 

Referências Bibliográficas:

1- https://www.infectologia.org.br/pg/981/esquistossomose – Sociedade Brasileira de Infectologia

2- https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/esquistossomose/ – Portal Drauzio Varella

 

Lucinara Froede – CRF/MG – 8945

Departamento Bioquímica – Laboratório Humberto Abrão

14 de Março de 2019 Post Esquerda , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *