Veja nossoBlog Laboratório
Humberto Abrão

Leptospirose

A leptospirose, é uma doença infecciosa e potencialmente grave quando em sua forma mais agressiva, causada pela bactéria Leptospira interrogans. É transmitida por meio da urina de animais (suínos, bovinos, equinos, ovinos e cães) infectados (zoonose), principalmente do rato (de esgoto) e sobretudo nas áreas urbanas.

Ao ser expelido pela urina do animal, esse agente sobrevive no solo úmido ou na água – exceto na do mar – e penetra no organismo humano através da pele e das mucosas, assim como pela ingestão de água e de alimentos contaminados.

No Brasil e em outros países em desenvolvimento, a maioria das infecções ocorre pelo contato com a enxurrada ou com a lama das enchentes, que se misturam à urina dos ratos e, assim, espalhando as bactérias.

Ela ocorre em todo o território nacional, durante todos os meses do ano, mas principalmente, nos meses chuvosos, o que favorece a ocorrência de surtos, mais frequentes em áreas urbanas, principalmente, nas capitais e regiões metropolitanas. As formas mais comuns de contato com a bactéria são:

  • Exposição a enchentes, alagamentos, lama ou coleções hídricas contaminadas.
  • Exposição a esgoto, fossas, lixo e entulhos contaminados.
  • Ingestão de alimentos contaminados.
  • Outros fatores que envolvam contato/ingestão com objetos e alimentos contaminados com urina de animais infectados.

Tal doença inspira certo receio, mas em 90 % dos casos a leptospirose cursa de maneira benigna. Em 10% (podendo chegar a 50%) dos infectados, pode ocorrer a sua forma grave, denominada doença de Mal de Adolf Weil, com manifestações hemorrágicas severas e comprometimento da função renal.

Não é possível prever quando a leptospirose vai ser mais agressiva, então é fundamental procurar um serviço médico diante do aparecimento dos primeiros sinais e sintomas, principalmente, após a exposição a situações de risco.

Existe a possibilidade de a leptospirose ser assintomática, mas, em geral, os sintomas costumam aparecer de 3 a 24 dias após o contágio, com média de dez dias de incubação. Os principais sintomas são:

  • Febra alta 
  • Sangramento
  • Sensação de mal-estar
  • Dor de cabeça
  • Dores musculares
  • Cansaço
  • Olhos avermelhados
  • Tosse seca
  • Faringite e calafrios
  • Dor abdominal
  • Náuseas
  • Vômitos
  • E, diarreia com possibilidade de desidratação.

O diagnóstico da doença depende da união dos sinais, sintomas e exames laboratoriais específicos;

  • A sorologia IgG, e IgM para Leptospirose.

Caso tenha se exposto a situações de risco, e tiver sinais e sintomas da doença, é imprescindível que procure o serviço de atendimento médico, para que o diagnóstico seja feito e o tratamento orientado de acordo com seu caso.

A prevenção pode ser através de medidas individuais de proteção, além das de saneamento básico feitas pelos órgãos públicos. Em caso de enchente, evite o contato com a água e a lama. Se não for possível, use botas e luvas impermeáveis. Depois de uma inundação, desinfete com água sanitária (elimina a bactéria) os locais inundados. Armazenar o lixo em sacos plásticos e em lixeiras tampadas para evitar a contaminação de novos animais. Quem tem animais de estimação também deve se proteger ao recolher fezes e urina dos bichos, além de usar água sanitária na limpeza das áreas que eles ocupam. E por fim, a limpeza de vegetais e frutas, com critério, incluindo sua imersão em água clorada.

Referências Bibliográficas:

PELISSARI, D.M. et all; Revisão sistemática dos fatores associados à leptospirose no Brasil, 2000-2009 on-line. Disponível em: <http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v20n4/v20n4a16.pdf> Acessado em 17/02/18 às 17:00. MINISTÉRIO DA SAÚDE.; Leptospirose diagnóstico e manejo clínico on-line. Disponível em < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/leptospirose-diagnostico-manejo-clinico2.pdf> Acessado em 18/02/18 às 17:43

Os exames para diagnóstico da Leptospirose fazem parte da nossa rotina de exames. Qualquer dúvida favor contatar seu médico.

* Este material tem caráter meramente informativo. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico.

12 de Março de 2018 Post direita , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *